(Source: mrsfck)


Reblog this!
12,902 notes

Permalink
22.08.2014 às 06:28


"É preciso não esquecer nada: nem a torneira aberta nem o fogo aceso, nem o sorriso para os infelizes, nem a oração de cada instante. É preciso não esquecer de ver a nova borboleta nem o céu de sempre. O que é preciso é esquecer o nosso rosto, o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso. O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos, a ideia de recompensa e de glória. O que é preciso é ser como se já não fôssemos, vigiados pelos próprios olhos severos conosco, pois o resto não nos pertence."
~ Cecília Meireles.  (via enoitecer)

(Source: poesia-de-cecilia)


Reblog this!
1,009 notes

Permalink
22.08.2014 às 06:26


"Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém. Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto. Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las. Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos. Que posso usar o meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando. Eu aprendi… Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida. Que por mais que se corte uma pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho. Aprendi… Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência. Mas, aprendi também que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei. Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles. Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sente. Aprendi que perdoar exige muita prática. Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso. Aprendi… Que nos momentos mais difíceis, a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas. Aprendi que posso ficar furioso, tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel. Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso. Eu aprendi que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, e que eu tenho que me acostumar com isso. Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro. Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso. Eu aprendi… Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto; Aprendi que numa briga preciso escolher de que lado eu estou, mesmo quando não quero me envolver. Que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem. Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida. Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes. Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio. Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério. E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos. Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre. Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito."
~ William Shakespeare. (via expurgar)

(Source: Expurgar)


Reblog this!
216 notes

Permalink
22.08.2014 às 06:26




Reblog this!
13,680 notes

Permalink
21.08.2014 às 21:22




Reblog this!
23,901 notes

Permalink
21.08.2014 às 21:17


"E as discussões se sucediam, sem pé nem cabeça. Mas ciúmes são cegos como o próprio amor. São sentimentos mesquinhos, minuciosos, não esquecem a insignificância dos mínimos segundos. As batidas do coração jamais deveriam se escravizar aos tiquetaques desencontrados de dois relógios diferentes. A verdade, porém, é que eram ambos loucos, um pelo outro, e seus corações acabavam por se entender, num ritmo comum de compreensão. E as hostilidades descansavam invariavelmente em beijinhos e mil perdões."
~ Chico Buarque.  (via chico-buarque)

Reblog this!
10 notes

Permalink
21.08.2014 às 21:17


"Um conto de amor, sem ponto final. Retrato sem cor, jogado aos meus pés. E saudades fúteis, saudades frágeis, meros papéis."
~ Chico Buarque. (via chico-buarque)

Reblog this!
5 notes

Permalink
21.08.2014 às 21:16


"Como é sincero poder querer os pulsos cortar. Como é bolero chegar e perder a coragem. Foi tão bonito você me emprestar a vida assim, ver que eu não tinha saída e seguir por onde eu vim. Como eu adoro você, quando você me sorri. Quando sabemos que aqui, termina nossa viagem."
~ Chico Buarque. (via chico-buarque)

Reblog this!
3 notes

Permalink
21.08.2014 às 21:16


(Source: teupatrao)


Reblog this!
15,500 notes

Permalink
14.08.2014 às 18:53


"Nunca confessei abertamente o meu amor, mas, se é verdade que os olhos falam, até um idiota teria percebido que eu estava perdidamente apaixonado."
~ O Morro dos Ventos Uivantes.   (via suavizou)

(Source: im-bebado)


Reblog this!
19,946 notes

Permalink
13.08.2014 às 20:10



Página 1 de 482 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 »